Ipirá: Servidores da Saúde acusam vereadora de violência verbal

0

Vereadora_Luma_gusmao_PCdoB_IpiraProfissionais da Secretaria Municipal da Saúde de Ipirá, cidade localizada a 210 Km de Salvador, fizeram um abaixo-assinado para denunciar o comportamento da vereadora Luma Gusmão (PCdoB), que exerce seu primeiro mandato. Segundo os servidores, a vereadora teria sido agressiva e desrespeitosa com os profissionais Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

“Os trabalhadores e trabalhadoras (…) abalados com os atos de injustiça, injúria, discriminação e violência verbal cometidos pela vereadora Luma, na Central de Regulação e UPA, além dos inúmeros comentários ofensivos e desrespeitosos, onde afirma que a equipe da Secretaria de Saúde é incompetente, vem a público repudiar o comportamento deseducado, agressivo, irresponsável, pouco cortês e eivado de inverdade”, diz trecho da nota de repúdio.

Ainda de acordo com a nota, “contrariando a Constituição Federal, a vereadora Luma tem o hábito de adentrar as repartições públicas da Saúde exigindo privilégios em contrariedade aos princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde”, afirma outro trecho da nota, acompanhada por dezenas de assinaturas.

Em vídeo compartilhado pela vereadora no seu perfil do Instagram, Luma conta que seu irmão – que já teve câncer de tireoide e que precisa tomar cálcio diariamente – foi levado para a UPA em crise e lá encontraram os dois médicos que estavam de plantão dormindo.

“Meu irmão gritava pedindo cálcio, sabe o que foi que aconteceu? Foram chamar a polícia para pessoas de bem. A polícia chegou lá, eu pedi desculpa pela equipe da UPA e disse que ali não tinha bandido”, disse. 

A vereadora disse ainda que pouco tempo depois o médico apareceu e afirmou que só medicaria seu irmão com exames laboratoriais, sendo que os procedimentos não são realizados na unidade de saúde. Luma diz no vídeo que pouco tempo depois o paciente recebeu o cálcio, mesmo não sendo o que ele precisava. 

“Eu me coloco muito no lugar de outras pessoas. Depois do grito que eu dei eu lembrei que tinham outras pessoas ali que podiam estar internadas e eu fui pedir desculpas as essas duas pessoas e sabe o que elas falaram? Não precisa pedir desculpa não, porque o que você está passando aqui a gente passou mais cedo. O descaso na nossa saúde está grande, não tem maca para os pacientes serem examinados, os ar condicionados estão todos quebrados”, conta.

Procurada pelo BNews, Luma disse que não estava na UPA como vereadora e sim como irmã. A parlamentar disse ainda que vai dar satisfação a população da cidade na tribuna da Câmara próxima semana, porque “da forma que chamou os médicos que estavam ausentes para seu irmão, chamaria por qualquer um”. (Fonte: BNews).

Deixar um comentário