Jornalista Muniz Sodré está em estado grave com suspeita de covid-19

0

muniz-sodre_0031__1O jornalista e professor Muniz Sodré, de 78 anos, está internado em estado grave com suspeita de infecção pelo novo coronavírus em um hospital particular de São Cristóvão, na Zona Norte do Rio de Janeiro.

O acadêmico da Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (ECO/UFRJ) é um dos nomes mais respeitados do Jornalismo no país e foi presidente da Biblioteca Nacional, de 2005 a 2011.

De acordo com familiares, Sodré foi internado na última quinta-feira (30/04) com pneumonia e febre. Seu estado de saúde piorou e já na sexta foi transferido para o CTI da unidade de saúde.

Em nota, a Associação dos Docentes da Universidade Federal do Rio de janeiro (Adufrj) desejou a “pronta recuperação” do professor emérito da instituição. A ECO também divulgou comunicado, desejando a plena recuperação do jornalista.

“No momento, a família está concentrada nos cuidados necessários ao professor. Desta forma, solicitamos que contatos telefônicos sejam evitados. Quaisquer atualizações do seu estado de saúde serão divulgadas pelos canais da ECO. Desejamos a pronta melhora do estimado co-fundador da Escola de Comunicação da UFRJ”, a instituição divulgou.

Atuação

Muniz Sodré de Araújo Cabral

Com graduação em Direito, mestrado em Sociologia da Informação e Comunicação, doutorado em Ciência da Literatura e pós-doutorado pela Universidade de Sorbonne, na França, Muniz Sodré é professor da UFRJ há mais de 30 anos. Na ECO, o baiano de São Gonçalo dos Campos já exerceu diversas funções de administração acadêmica.

Sua área de atuação é produção da cultura, tanto em nível industrial, quanto nas expressões de origem popular. É membro do Laboratório de Estudos em Comunicação Comunitária (LECC), que pesquisa as questões da comunidade e das possibilidades de uma comunicação alternativa.

O jornalista é membro de várias associações científicas, como a Association Internationale des Sociologues de Langue Française, que tem sede em Toulouse, na França. Também é professor visitante de várias universidades estrangeiras e pesquisador do CNPq.

Tem mais de 30 livros publicados, sendo o mais recente A Ciência do Comum: notas para o método comunicacional (2014). Algumas de suas obras foram traduzidas em países como Itália, Bélgica, Espanha, Cuba e Argentina. (Fonte: Por O Dia).

Equipe de Jornalismo

Deixar um comentário