Morre, aos 98 anos, sambista Riachão, autor de ‘Cada macaco no seu galho’

0

TIAVAHOO cantor e compositor Riachão morreu nesta segunda-feira (30/3) aos 98 anos. Ícone do samba da Bahia, o sambista morreu durante a madrugada enquanto dormia em sua casa, no bairro do Garcia, em Salvador, capital do Estado.

Clementino Rodrigues, nome de batismo, estava ao lado de compositores do samba como Batatinha, Ederaldo Gentil e Nelson Rufino. Riachão é autor de “Cada macaco no seu galho, regravada por Gilberto Gil e Vá morar com o diabo, também interpretada por Cássia Eller.

A notícia da morte do sambista gerou uma onda de homenagens e mensagens saudosas de artistas, cantores e da torcida do Esporte Clube Bahia.

Bahia presta condolências

827799bf385f67b7faf88ff701cbefd9Na madrugada dessa segunda-feira (30), o mundo da música perdeu um importante figura do samba brasileiro com o falecimento na cidade de Salvador de Clementino Rodrigues, mais conhecido como Riachão, aos 98 anos de idade. Segundo familiares, a morte ocorreu de causas naturais.

O Bahia usou as suas redes sociais e o seu site para homenagear o cantor que integrou a chamada Velha Guarda do Samba ao lado de figuras como Dona Ivone Lara e Nelson Sargento.

Além de relembrar alguns sucessos do gênero que foram compostos por Riachão, o Esquadrão ainda mencionou a homenagem que fez para o músico em 2018 quando colocou seu nome em uma das camisas do clube em meio à época da Consciência Negra.

Confira a nota de pesar e a postagem do Bahia em sua rede social

A diretoria do Esporte Clube Bahia manifesta solidariedade aos amigos e familiares de Clementino Rodrigues, o nosso querido Riachão, que faleceu nesta segunda-feira (30), aos 98 anos.

Nascido em 14 de novembro de 1921, Riachão foi um dos principais sambistas do país.

Duas das mais de 500 criações foram: “Cada Macaco no Seu Galho” (gravada por Caetano Velo e Gilberto) e “Vá Morar Com o Diabo” (cantada com Caetano Veloso e depois gravada por Cássia Eller).

O último álbum de Riachão foi o “Mundão de Ouro”, lançado em 2013.

Homenagem

Em novembro de 2018, dentro do mês de comemoração da Consciência Negra, o Tricolor o homenageou. Naquela ocasião, no jogo contra o Ceará, o meia Ramires usou a camisa com o nome de Riachão. LUTO – O Esquadrão manifesta solidariedade aos amigos e familiares de Clementino Rodrigues, o nosso querido Riachão, que faleceu aos 98 anos.

(Fontes: Agencia Estado e Portal Terra/ Fotos: Folha UOL/Divulgação e Divulgação/Bahia)

.

Equipe de Jornalismo

Deixar um comentário