Riachão: Rio Jacuipe transborda e nível da água se aproxima da enchente de 80

0

jacuiperio As chuvas que caíram durante toda a noite desta quinta-feira (21) e prosseguiram durante a madrugada e manhã desta sexta (22) proporcionaram mais uma grande cheia no Rio Jacuipe, bem maior do que a de há 15 dias, quando aconteceram as primeiras chuvas na região.

Desde cedo as águas não pararam de subir, o que tem assustado os moradores dos bairros ribeirinhos, já que centenas de pessoas estão desabrigadas. Os bairros mais atingidos pelas águas do rio são Alto do Cruzeiro, Bela Vista, Barra e Alto do Cemitério.

Por volta das 11 horas o nível da água já alcançava no lastro da ponte e muitos moradores lembravam para comparar com a enchente de 1980, considerada a maior do rio Jacuipe nos últimos 50 anos. “Acho que esta enchente já é maior do que a de 80”, disse um morador.

PONTE-VELHA Contudo, outros moradores contestam a informação e garantem que o volume de água em 1980 foi maior do que o de agora. “Em 1980, a água do rio passou sobre a ponte, e tenho foto para provar, mas agora ainda falta quase meio metro para isso acontecer”, afirmou.

Além da enchente da década de 1980, antes, em 1969, o rio também recebeu outra grande cheia. Segundo moradores circunvizinhos do rio, a enchente passou devastando pastagens, derrubando cercas e causando muito alvoroço. “Olha, a água do rio praticamente nivelou com a da barragem, formando uma grande paisagem”, disse um curioso à nossa reportagem.

Polêmicas à parte, a verdade é que o rio passa com grande volume de água e tem feito muito estrago. Com medo, alguns moradores ribeirinhos ficaram de plantão, sem deixar as suas casas, mas em estado de alerta. “Eu não saí ainda porque nem tenho para onde ir”, explica uma moradora do Alto do Cemitério, um dos bairros mais atingidos pelas águas do rio.rio

Agua cede

Para tranquilidade dos moradores, no inicio da tarde á água do rio já apresentava menos força. “O rio está baixando, a água está menos”, vibravam moradores e curiosos às margens do Jacuipe.

 

 

 

Equipe de Jornalismo

Deixar um comentário