Bahia: Associação de Produtores e Cineastas defende lançamento de Editais

0

card22A Associação de Produtores e Cineastas da Bahia – APCBahia, entidade representativa dos profissionais e empresas produtoras de conteúdo audiovisual no estado da Bahia, lançou uma campanha em defesa de Editais Anuais de Cultura para a Bahia.

O Brasil vive um momento de valorização do audiovisual, estimulado pela promulgação da Lei n. 12.485/2011 e pela criação do Programa Brasil de Todas as Telas da Agência Nacional de Cinema – ANCINE. O mercado audiovisual cresceu a uma taxa média de 9% nos últimos 9 anos, estabelecendo um contraponto positivo em relação ao recente desempenho da economia nacional. Os resultados representam um avanço significativo em nossa produção simbólica. Produção essa que é oriunda de todas as regiões brasileiras, e que estão sendo lançadas em salas de cinema e nas TVs, dentro e fora do país.

Como parte desse cenário, o audiovisual baiano também mudou e se encontra em um momento propício de expansão de sua capacidade de produção. Se em 2010 era pouco mais de 80 produtoras baianas, atualmente são registradas na ANCINE. E são elas que vêm atraindo um crescente volume de recursos federais para investimento em nosso estado. Segundo dados da ANCINE, nos últimos dois anos (2016 e 2017) projetos baianos selecionados nas linhas de financiamento do Fundo Setorial do Audiovisual – FSA, da ANCINE, captaram 64,8 milhões de reais. Essa verba foi investida em longas metragens, telefilmes e séries, produzidos na Bahia.

Segundo a APC, este movimento favorável necessita de políticas públicas específicas para o setor audiovisual baiano, com a criação de mecanismos estáveis para garantir a continuidade dessa produção e a sua consequente distribuição. Há dois anos o Governo da Bahia não lança edital de cultura e isto tem inquietado os produtores e realizadores baianos. A APC defende a adoção de Editais Anuais como centro de uma política de fomento ao audiovisual no estado da Bahia. A partir deles outras ações e qualificações poderão se agregar no entorno, como o estímulo à realização de festivais de cinema na cidade; apoio à produção de publicações sobre cinema; implementação de um Programa de Difusão de Filmes e de um Circuito de Exibição de Filmes Baianos; estruturação de núcleos que deem suporte as produções cinematográficas; formação de mão de obra qualificada para o mercado profissional; e a formalização de convênios entre o estado e instituições baianas e nacionais, buscando uma maior abrangência na captação de recursos para a produção e difusão do cinema na Bahia.

A APC acredita que a partir da implantação de uma legislação que regulamente uma política de fomento para o audiovisual em Salvador, somados aos demais incentivos estaduais e nacionais, o audiovisual Baiano, de tanta tradição, poderá continuar cumprindo com dignidade sua vocação de contribuir para a criação da identidade de nosso povo.

Equipe de Jornalismo

Deixar um comentário