Riachão: Jacuipense que cursava Farmácia em Salvador é sepultada

0

marilia-ceci1A jacuipense Marília Heide Oliveira Santiago, de 30 anos, que morreu na última quinta-feira (10), no Hospital Aristides Maltês, em Salvador, foi sepultada nesta sexta-feira (11), por volta das 15h, no cemitério de Riachão do Jacuípe. A jovem, que cursava Farmácia e trancou o curso para cuidar da saúde, estava internada há meses capital baiana, onde também residia, mas vinha se recuperando bem e retornava ao hospital apenas para tratamento.

Contudo, conforme informações da família, Marília passou o feriado de 1º de maio em Riachão, mas teve o seu quadro agravado no último final de semana e foi internada novamente em Salvador. “Ela se recuperava bem, mas piorou no fim de semana. Trouxemos para o hospital, ela estava na UTI e aguardava o boletim médico. De repente, recebemos essa noticia”, disse o pai, inconformado.

Marilia Santiago era filha de Décio Antônio Oliveira Santiago, mais conhecido por Ceci de Bilé, e Maria das Dores marilia-s1Oliveira Santiago. Ceci é proprietário de um bar na Rua Dr. Álvaro Cova, centro de Riachão do Jacuípe. A jovem residia em Salvador há quase dez anos, onde inicialmente cursou Psicologia, mas depois mudou para Farmácia.

Helton Santiago, que reside na cidade de Valparaiso, Goiás, esteve no sepultamento e lamentou muito a perda da irmã. “Crescemos juntos e aprendi muito com você, mas agora tudo acabou”, disse emocionado.

O corpo de Marília Santiago foi velado no Sitio Santa Cecília, de propriedade da família, localizado próximo à estrada Riachão/Ichu, entrando à esquerda. O sepultamento foi acompanhado por familiares, amigos e populares. Pela sua alegria e disposição para viver, Marília foi aplaudida pelos presentes.

Os pais, tias e primas de Marília estavam bastante emocionados, lamentando a perda da jovem. “Minha menininha foi se embora”, lamentou Ceci, que não dispensou elogias à filha. “Nunca me deu trabalho, só me dava prazer. Nunca recebi uma queixa de ninguém sobre ela. Foi para Salvador estudar, mas teve que trancar para cuidar da saúde”, acrescentou.

Equipe de Jornalismo

Deixar um comentário