Copa Jacuípe: Flamengo Lagoa do Canto vence nos pênaltis e sagra-se campeão

0

barreiros-publico1A I Copa Jacuípe de Futebol Amador chegou ao final neste sábado (29), com a decisão entre Meninos da Vila de Barreiros e Flamengo de Lagoa do Canto II. A partida terminou empada no tempo normal em 1×1, com gols de Gilbertinho para os visitantes e Willian de falta para a equipe da casa. Na cobrança de pênaltis para definir o campeão, o Flamengo se saiu melhor e venceu por 1×0 nas cobranças alternadas, depois de a primeira série terminar empatada em 4×4.

O Flamengo foi melhor na primeira etapa, com forte marcação e rapidez no meio e ataque. Com a presença de Luciano Laranjeira no meio campo, a equipe melhorou mais ainda o setor de criação em barreiros-jogo1relação à partida anterior, contra o Juventude, em Ponto Novo. Com a criatividade que lhe é peculiar, Luciano encontrava sempre espaço para servir aos seus companheiros.

Num desses lances, Luciano viu Gilbertinho na área e cruzou como se fosse um passe: o atacante pulou muito e conseguiu cabecear com grande estilo para abrir o placar. Com a vantagem, os visitantes não desistiram de atacar e continuaram criando oportunidades.

O gol no início não deixou de influenciar o rendimento do Meninos da Vila em campo. Somente a partir dos 20 minutos, a equipe barreirense conseguiu equilibrar a partida, quando passou a praticar o seu futebol de toques e saídas rápidas para o ataque. Só que do outro lado tinha uma equipe com a mesma característica, o que deixou o jogo aberto e com muita ofensividade.

Apesar de não repetir as boas atuações anteriores, quando empatou apenas um jogo na competição, a equipe barreirense chegou ao empate através de uma cobrança de falta. Aos 25 minutos, Wiliam cobrou falta de relativa distância, a bola passou pela barreirbarreiros-invasao1a, o goleiro Gil ainda tentou, mas pulou em falso, já que atuava no sacrifício devido e um acidente com moto que sofreu durante a semana, levando um corte profundo numa perna.

Segundo tempo por um gol

Com a mesma determinação tática, a partida ganhou mais qualidade ainda no segundo tempo, com as duas equipes procurando o ataque constantemente. Um gol seria fatal para a conquista do titulo. A bola quase não saia, já que a posse era valorizada pelos dois lados. De fora, o torcedor não batia o olho, tal a movimentação dentro de campo. O jogo era lá e cá, embora a quantidade de chutesbarreiros-penaltis1 a gol não correspondesse ao futebol ofensivo das duas equipes.

A partir dos 25 minutos, a partida ganhou mais emoção ainda. À medida que o tempo passava, levar um gol não estava na conta de ninguém. Com isso, atacar era preciso, mas cautela também era fundamental. Contudo, as oportunidades continuaram surgindo tal a movimentação frenética que o jogo ganhou na segunda etapa, com as equipes fugindo da decisão por pênaltis.

Mesmo com toda movimentação, o placar terminou mesmo empatado em 1×1, forçando a cobrança de penalidades máximas para se conhecer o campeão. Deu Flamengo, por 6×5. Na outra matéria, detalhes sobre as cobranças de pênaltis e entrega dos prêmios.

Equipe de Jornalismo

Deixar um comentário