Luiza Possi lança novo álbum

0

CYMERA_20160428_195212Com batidas eletrônicas e um som diferente dos sete CDs anteriores, Luiza Possi está em trabalho de divulgação do álbum recém-lançado, LP, que brinca com as iniciais de seu nome. Ao R7, a cantora falou sobre os novos rumos da carreira e explicou os motivos de ter se distanciado um pouco do estilo de MPB que fazia desde o início da carreira.

— Desde que comecei a fazer o canal com músicas experimentais, comecei a cantar mais as canções que escuto, do que se aproxima de mim, mais do que aquela música pensada para cada nicho. Passei a fazer aquela música que estaria na minha playlist, na minha vida. Sentia falta de ter um caminho convergente entre o que escuto e o que faço.

A cantora falou ainda que o novo show é mais performático e que a música foi feita para curtir.

— Esse é um show que danço, que é mais performático, tem tudo a ver com o meu dia a dia. Não pode existir uma divisão na música que faço: “isso é música séria, isso é para eu curtir”. A música que canto tem que ter a ver comigo.

A vontade de gravar um novo trabalho surgiu após uma turnê pelo Japão. A ideia inicial era de gravar um EP (Extended Play, álbum com apenas 4 músicas), mas ela decidiu gravar um LP (Long Play) completo.

— Sou fã de R&B, Rap e Hip Hop e quando voltei dessa turnê [no Japão], entendi que precisava gravar um novo disco e o Gorky [Rodrigo, do Bonde do Rolê] compreendeu o que eu queria. Estava pronta para fazer um EP, mas aí abri o meu caminho, me abri em todos os sentidos: como pessoa, na sonoridade, de novos timbres. E acabei me tornando parceira de pessoas incríveis nesse projeto.

Ao todo, foram mais de sete meses de trabalho e a satisfação da cantora com o resultado é evidente.

— A gente começou a gravar em agosto a entregou o disco em janeiro, mas só agora que foi lançado. Fiz o álbum com calma, atrasei para entregar, não me pressionei com datas. Fiz do jeito que gosto. Ninguém está morrendo na porta da loja me esperando, tenho que fazer um som legal e que me agrade. Ficou exatamente do jeito que eu queria.

Aos 31 anos, Luiza – que já conta com 14 de carreira – avaliou que a mudança no estilo se deve à maturidade profissional.

— O fato de ter trabalhado bastante até aqui me ajudou a ter essa nova visão. Lógico que ainda não trabalhei o suficiente, ainda tenho muito o que aprender, mas estou me sentindo muito mais madura.

Além do trabalho em áudio, a cantora quer se dedicar ao visual. No entanto, ela ainda não sabe se o projeto vai virar um DVD.

R7

Equipe de Jornalismo

Deixar um comentário