Morre Myriam Fraga, Diretora da Fundação Casa de Jorge Amado

0

miriam-fragaMorreu, aos 78 anos, no início da tarde desta segunda-feira (15), em Salvador, a escritora baiana Myriam Fraga, diretora há 30 anos da Fundação Casa de Jorge Amado. Segundo informações da instituição, Myriam morreu por volta do meio-dia, no Hospital Aliança, onde estava internada desde o dia 20 de janeiro. Ela tinha leucemia.

Myriam Fraga era vice-presidente da Academia de Letras da Bahia. Ela deixa quatro filhos. De acordo com a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (Secult), o sepultamento da escritora será realizado nesta terça-feira (16), às 11h, no Cemitério Jardim da Saudade.

O ex-presidente da Academia de Letras da Bahia, Aramis Ribeiro Costa, lamentou a morte da amiga. “Acabei de saber a notícia da morte agora à tarde. É com uma profunda tristeza que recebo essa notícia. Além desse valor extraordinário como poeta e intelectual, ela era uma grande companheira, grande amiga. Estava sempre conosco na academia. Myriam é um verdadeiro patrimônio cultural da Bahia. A morte dela entristece todos que vivem a vida cultural baiana e empobrece a própria cultura”, lamentou.

Por meio de uma rede social, o governador Rui Costa também lamentou a morte da escritora. “Mulher baiana, de São Salvador, inquietou seus leitores, nos fez refletir sobre o contraditório, a essência do feminino, sobre o país, e muito contribuiu para que a nossa cultura fosse disseminada. Myriam deixa sua obra e a saudade”, publicou.

O prefeito de Salvador, ACM Neto, destacou o papel da escritora na divulgação da cultura da Bahia. “Poucas pessoas contribuíram tanto nas últimas décadas para o desenvolvimento e divulgação da cultura baiana como Myriam Fraga”, afirmou.

Já o secretário da Secult, Jorge Portugal, destacou a elegância dos versos da escritora. “Infelizmente, a Bahia – e o Brasil – perde uma de suas poetas mais inspiradas e de versos precisos e elegantes: acaba de nos deixar Myriam Fraga, amiga e Conselheira querida, disse em uma rede social.

Institucionalmente, a Secult transmitiu pesar pelo falecimento. “A Secult e suas unidades vinculadas – Fundação Cultural do Estado da Bahia, Fundação Pedro Calmon e Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia –  lamentam o falecimento da jornalista, poeta e contista, Myriam Fraga”, disse documento.

O gerente administrativo da Fundação Casa de Jorge Amado, Ticiano Martins, contou ao G1 que a Myriam Fraga está na entidade desde a origem. “Ela ajudou a criar esse espaço com Jorge Amado e a família. Ele fizeram isso juntos. Antes [da criação], Myriam realizou uma exposição sobre Jorge Amado. Viram ali que já tinha material suficiente para criar a Fundação”, detalha.

Colega de trabalho da escritora na Fundação Casa de Jorge Amado, Ticiano lembra com carinho da profissional. “Eu brincava muito com ela, chamava de professora. Ela sempre foi nossa guia. Foi sempre uma representação muito importante”, conta.

Equipe de Jornalismo

Deixar um comentário