Tragédia na BR-110 deixa saldo de 15 mortos; homem perde irmãos; mãe e filho são os únicos a escaparem ilesos

0

O acidente na BR-110, entre um ônibus da empresa Gontijo, um trator e uma carreta, nesta segunda-feira (27) deixou um saldo de 15 mortos. Das 31 pessoas que estavam no veiculo, dez morreram no local e 19 foram encaminhadas para o Hospital Dantas Bião, em Alagoinhas.

Outras três pessoas morreram na unidade de saúde e quatro foram transferidas para o Hospital das Clínicas de Alagoinhas (HCA). 16 pessoas permanecem internadas no Hospital Dantas Bião. O estado de saúde delas não havia sido divulgado até a manhã desta terça-feira (28).

Depois do trágico acidente, as histórias se sucedem. O aposentado Leopoldo de Souza, que perdeu cinco irmãos, lamentou a tragédia. “É uma tristeza, eles vinham para minha casa e depois íamos para cada deles, em Euclides da Cunha, já estava tudo programado”, disse Leopoldo.

A dona de casa Maria José Ferreira perdeu o marido. “Ele ligou para mim as 4h30 lá em Feira de Santana dizendo que era para eu ir pegar ele na rodoviária de Inhambupe. Eu vim pegar foi o corpo no IML. É muita dor, sair para passear e acontecer isso”, disse.

“O local do acidente é uma descida, e é uma curva. O motorista pisou no freio para o carro não ganhar velocidade por causa do peso e ele sentiu o trator avançar para frente e na sequência ele tombou na pista”, explicou Paulo Cesar Pinto, advogado da empresa.

Benção de Deus

“Não tenho dúvidas de que isso foi uma bênção de Deus”. Com essa declaração, Ana Paula da Silva, de 23 anos, conta como ela e o filho de dois anos sobreviveram ao acidente. A jovem e a criança, que estava no colo dela durante a viagem, saíram ilesos após um trator se desprender de uma carreta e atingir o ônibus em que eles estavam. Mãe e filho foram os únicos que não sofreram ferimentos com a batida.

Ela conta que acordou com o impacto da batida. “Eu estava dormindo, não vi muita coisa, mas quando acordei estava tudo destruído, bagunçado. Já tinha muita gente no chão, muitos mortos. Só tinham dois que estavam dentro do ônibus e estavam aparentemente bem. Foi uma história de terror”, conta. Ela informou que o trator atingiu até o meio do ônibus e por isso ela e o filho saíram apenas com arranhões superficiais.

A jovem estava em Belo Horizonte, Minas Gerais, na casa da irmã, e seguia para a cidade Paulo Afonso, na Bahia, onde mora. “Foi coisa de Deus mesmo. Só Deus salvou a gente”, diz aliviada. Ana Paula ainda disse que estava sozinha com o filho e não conhecia ninguém que estava no veículo.

Quatro corpos já foram liberados do Instituto Médico Legal de Alagoinhas. Outros seis corpos permanecem no IML aguardando o reconhecimento dos familiares. Três corpos permanecem no Hospital Dantas Bião e devem ser encaminhados para o IML de Alagoinhas.

O motorista da carreta que se envolveu no acidente não sofreu ferimentos e prestou depoimento no inicio da tarde desta segunda-feira.

Depoimento
De acordo com informações do delegado de Alagoinhas, Jobson Lucas Marques, o condutor da carreta disse que não verificou se o trator estava amarrado na carroceria da carreta. Ele ainda afirmou que uma empresa, ainda não identificada, foi a responsável por “prender” o veículo.

Ainda segundo o delegado, a perícia constatou que o trator, que pesava 35 toneladas, estava completamente solto. “Ele como motorista profissional deveria ter observado algum sinal de imprudência e imperícia”, afirma o delegado.

Segundo ele, o motorista vai responder por dolo eventual e ficará preso até decisão judicial. Jobson Marques ainda informou que o motorista pode pegar de 6 a 20 anos de prisão. De acordo com informações do advogado do condutor da carreta, ele está muito abalado e está desesperado por ter provocado tantas mortes.(Fonte: G1 BA

Equipe de Jornalismo

Deixar um comentário